Blog

Para o RH

Tendências para o RH em 2021: saúde financeira do trabalhador é uma delas

última atualização dia 17 de dezembro de 2020

A nossa vida pessoal e profissional passou por várias mudanças no ano de 2020 e essas lições vão continuar a fazer parte da nossa realidade. Dessa forma, as empresas e também as equipes de trabalho devem estar preparadas para se adaptar às tendências de RH que vão despontar no próximo ano.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para destacar como essas mudanças começaram a fazer parte do nosso dia a dia no ambiente de trabalho. Para saber mais sobre o assunto, confira neste conteúdo as principais inovações na área de recursos humanos e o que muda no dia a dia das empresas.

A flexibilidade do trabalho remoto

Embora fosse uma novidade no mercado de trabalho brasileiro, as empresas viram no trabalho remoto uma forma de manter as suas atividades nesse cenário de pandemia. Isso só ajudou a provar que uma jornada de trabalho flexível pode ser um fator que gera o aumento da produtividade.

Esse modelo de trabalho permite equilibrar a vida pessoal e profissional, o que gera a melhoria da qualidade de vida e a dedicação à empresa. Mas, para que a sua equipe continue trazendo resultados é essencial oferecer a estrutura e o apoio necessários.

A resolução de gaps de competências

Entender quais são as forças e fraquezas da equipe ajuda a decidir quais ações devem ser adotadas para o seu desenvolvimento. Esse recurso faz parte do gap de competências que é um conceito utilizado para avaliar os resultados dos colaboradores.

Nesse sentido, a empresa juntamente com a gestão de RH, aponta quais aptidões são exigidas para o desempenho das funções de cada cargo. Logo depois, é feito um comparativo com a avaliação do profissional para identificar a presença de competências como:

  • atitude proativa;
  • espírito empreendedor;
  • flexibilidade;
  • foco na resolução de problemas.

Com isso, é possível observar lacunas nas competências existentes e elaborar planos para desenvolver as áreas que a empresa precisa. 

Inclusive, essa é uma ferramenta que permite a criação de métricas de avaliação utilizadas para promover os colaboradores de acordo com seus resultados.

Além disso, os colaboradores que possuem maiores chances de promoção são aqueles mensurados por análises preditivas (People Analytics) e que conseguem demonstrar uma capacidade constante de alinhamento com os objetivos do cargo e com as metas estabelecidas pelas organizações.

O apoio à educação financeira no trabalho

Em um ano em que o desemprego bateu recordes históricos, sabemos que problemas financeiros podem surgir, e também podem parecer difíceis de corrigir em um primeiro momento. Isso faz com que o colaborador não busque soluções e, como resultado, a sua situação se torna uma bola de neve.

Atualmente, as dívidas geram um impacto alto na saúde e na performance do trabalhador. Além disso, essa situação é vista como uma falha pessoal na gestão das finanças, e não como algo que poderia acontecer com qualquer um.

Portanto, para mudar esse cenário, a empresa pode ser proativa e divulgar informações sobre o assunto. Da mesma forma, é possível criar treinamentos e enviar e-mails informativos. A educação financeira no trabalho é uma aliada na melhora da relação entre o colaborador e as suas finanças pessoais, e cria uma base sólida para a conquista de objetivos de curto e longo prazo.

A proposta das tendências de RH é fortalecer a equipe e incentivar o desenvolvimento pessoal e da carreira. Na prática, vemos que é possível criar ações que podem ser aplicadas de forma simples e integradas à cultura organizacional considerando as melhores práticas das organizações atuais.

Se a sua empresa acredita que a oferta de crédito anda lado a lado com a saúde do trabalhador, e quer ser proativa de forma a corrigir esse problema, fale com a gente.

Quero oferecer saúde financeira como benefício para os colaboradores da empresa