Blog

Para o RH

Seu RH é empático na prática ou só na entrevista?

última atualização dia 10 de setembro de 2021

O setor de recursos humanos da sua empresa é empático e constrói conexões com os colaboradores ou somente executa as funções atribuídas ao departamento? Muito mais que uma área que compartilha de rotinas burocráticas, a gestão de pessoas pode assumir um papel importante no que diz respeito às relações e criação de vínculos com os colaboradores. 

Conforme mostra a pesquisa State of Workplace Empathy Study, realizada pela Businessolver em 2020, 90% dos profissionais acreditam que a empatia é uma característica fundamental nas empresas. O mesmo percentual corresponde aos CEOs, que identificam os seus negócios como empáticos em todos os níveis. No entanto, quando falamos na percepção dos funcionários sobre a empatia nas organizações, esse percentual cai para 68%. 

Mas, afinal, como se aproximar de maneira efetiva dos colaboradores e construir um RH mais empático e humanizado? Neste conteúdo falaremos um pouco sobre o tema!

Esteja próximo dos seus colaboradores

Vamos considerar que a sua empresa apresenta uma carga horária de oito horas diárias. Seus colaboradores passam mais de 170 horas por mês em função do trabalho – considerando que muitos deles ainda perdem horas com o deslocamento. Aquela clássica reflexão de que passamos mais tempo no trabalho – ou em função dele, em tempos de home-office – é real. E quando a empresa se coloca distante do colaborador no dia a dia, engajar e manter o talento se torna muito mais difícil. Muitos pesquisadores e estudiosos da área indicam: a aproximação com os colaboradores pode ser promovida pelo RH e fomentada pelas lideranças. 

Por isso, é essencial que líderes empáticos e preparados sejam escolhidos para gerenciar as equipes. Eles podem ser excelentes aliados na identificação dos problemas enfrentados por elas e no fomento de uma cultura mais próxima do colaborador. E claro, ajudam a perceber onde e como a empatia na gestão de pessoas pode ser aplicada de maneira mais sólida e efetiva. 

Promova um ambiente corporativo agradável 

Para que seus colaboradores se sintam bem e engajados, um ambiente corporativo saudável é essencial. A área de recursos humanos é uma das principais responsáveis por ações de promoção de uma cultura mais empática. Isso permeia desde a aproximação das lideranças ao acolhimento dos colaboradores quando ingressam na empresa. São pontos como esses que ajudam a construir uma organização admirada e desejada pelos talentos. Além disso, o perfil colaborativo e agregador costuma ser comum em organizações que preconizam uma cultura organizacional saudável. Vale reforçar que o RH tem papel fundamental no processo de difusão e manutenção dessa cultura.

Crie pontos de contato 

Não espere os problemas de seus colaboradores serem tão grandes a ponto de uma intervenção reativa por parte do RH. Estabeleça, desde o princípio, pontos de contato pelos quais você possa se comunicar de maneira aberta e empática com os funcionários de sua organização. Encontros periódicos, sessões de feedbacks, serviço de orientação de carreira e outros pontos nos quais é possível coletar as percepções dos colaboradores e estabelecer uma relação de confiança. A constância do contato também facilita a abordagens de assuntos delicados e pessoais, mas que podem influenciar diretamente na produtividade e engajamento.

Escolha benefícios que agreguem valor real à vida deles

Já falamos aqui no blog sobre a importância de escolher benefícios que agreguem valor real e vá ao encontro da realidade enfrentada pelos funcionários. Mas conseguir traduzir essas necessidades só é possível quando o RH consegue estabelecer uma aproximação efetiva com o colaborador. Nem sempre os benefícios necessários são os comumente oferecidos. Muitas vezes eles são simples e sequer apresentam grandes custos para a empresa (como é o caso de flexibilidade de horário, home-office ou soluções de educação financeira – como a Ahfin). Revisitar a carteira de benefícios oferecidos é essencial para que a empresa se mantenha competitiva e, de fato, consiga traduzir as necessidades dos colaboradores. A revisão pode ser feita de diferentes maneiras – como por exemplo, a partir do envio de formulários/pesquisas internas destinadas aos funcionários e da análise da utilização real dos benefícios oferecidos. Uma atualização que se faz necessária periodicamente.

Nesta live falamos sobre benefícios que agregam valor real ao colaborador? Quer conferir? Acesse agora!

E aí, seu RH já aplica essas iniciativas? Não esqueça de que o ativo mais valioso da empresa é o colaborador. Muitas vezes, sua empresa pode estar com dezenas (ou centenas) de vagas abertas e acredita que a dificuldade de preenchê-las está na falta de mão de obra qualificada. Mas, o que sua empresa procura fazer para que benefícios diferenciados sejam oferecidos e a cultura seja fortalecida? Lembre-se que o RH é um dos principais responsáveis pela construção de uma gestão mais humana e empática.