Blog

beneficios do colaborador

Quando os problemas financeiros dos colaboradores se tornam um problema para a empresa

última atualização dia 27 de outubro de 2021

Você já parou para pensar sobre os reflexos dos problemas financeiros dos colaboradores no dia a dia das organizações? A PwC realizou um estudo em 2020 que mostrou que mais de 54% das pessoas elencaram as questões financeiras como motivadoras para o estresse no trabalho. A produtividade no trabalho também é comprometida para aproximadamente 22% dos entrevistados.

Mas quando a sua empresa deve acender o alerta e considerar que os problemas financeiros dos colaboradores se tornam um problema para a empresa? Neste conteúdo falaremos um pouco sobre o tema. Confira!

Falar sobre finanças é um tabu em sua organização?

Faça um exercício rápido: sua empresa promove bate-papos sobre finanças junto dos colaboradores? Para muitas organizações, o tema pode ser considerado um tabu, já que pode soar invasivo para muitos. O primeiro passo é transpor as dificuldades relacionadas ao tema. Construa um cenário confortável que fará com que seus funcionários falem abertamente sobre finanças e sinalizem quando houver problemas que interfiram diretamente em seu dia a dia. Com isso, é possível perceber quando os reflexos desses problemas podem interferir no ambiente corporativo. A seguir, trouxemos alguns deles. 

# O absenteísmo

Na pesquisa mencionada anteriormente, aproximadamente 12% dos entrevistados afirmaram que faltam ao trabalho para resolver questões relacionadas aos problemas financeiros. Deve-se lembrar que as possíveis punições decorrentes dessas faltas (como o desconto dos dias) contribuem para uma piora do quadro. Portanto, o RH deve estar atento às justificativas das faltas do colaborador e, quando se tratar de questões financeiras, analisar como pode atuar de maneira mais empática e agregadora. 

# A falta de foco

Quando há outras grandes preocupações em nossa vida, é inevitável que seja gasto muito tempo pensando em como o problema poderia ser solucionado. Inclusive, a pesquisa afirma que metade dos entrevistados com problemas financeiros destina mais de três horas diárias para analisar formas de lidar com suas finanças pessoais. 

Vale salientar que a educação financeira não é um tema abordado amplamente em nossa vida e os reflexos da falta de conhecimento surgem em determinado momento. Por isso, o RH deve estar atento ao momento certo de inseri-lo no dia a dia da organização.

# A desmotivação

Para muitos colaboradores, os problemas financeiros podem levar a um espiral de desmotivação. Um fato extremamente perigoso, já que pode desencadear a problemas na empresa, queda na performance e demissões. O RH deve estar atento a alternativas que podem auxiliar no processo de motivação do colaborador. E acredite: nem sempre a melhor alternativa é fornecer um aumento de salário. Muitas vezes, ajudar o funcionário a compreender melhor o seu holerite e o uso otimizado de seus benefícios pode ser o caminho. 

Benefícios diferenciados pode ser o caminho

Como já mencionamos anteriormente, a educação financeira é uma ferramenta de empoderamento. Graças a ela é possível compreender melhor as finanças pessoais, as receitas e despesas, perceber os desperdícios e estabelecer uma relação sustentável com o dinheiro. Quando há um fomento do tema junto aos colaboradores, é possível fazer com que grandes problemas financeiros sejam evitados. 

Os benefícios oferecidos pelas empresas são aliados importantes para agregar às finanças e serem considerados no montante do salário. Mas para isso, eles precisam fugir do óbvio. Vale-refeição e/ou alimentação com valores competitivos, benefícios flexíveis e acesso ao crédito consignado com taxas abaixo do mercado são algumas das opções que podem agregar ao orçamento de seus funcionários.

E aí, quais desses a sua empresa oferece?