Blog

Para o RH

People analytics e a construção de um RH orientado a dados

última atualização dia 3 de março de 2022

Como a sua área de RH incorpora as mudanças tecnológicas às rotinas do setor? Certamente, você já deve ter ouvido falar que os dados podem ser aliados para a tomada de decisões mais assertivas e embasadas. E a partir da inserção da tecnologia em atividades que antes eram manuais, é possível digitalizar processos e inserir, mesmo que aos poucos, uma gestão orientada a dados. 

A área de Recursos Humanos está no centro dessas mudanças, e da atual revolução tecnológica. Vários novos recursos foram implementados, entre eles o conceito de People Analytics.

O termo People Analytics nasceu após a ideia da big data, que é o processo de análise e interpretação dos dados, aqueles que armazenamos todos os dias na internet. Com tantas informações disponíveis, surgiu a necessidade de usá-las e interpretá-las em diversas áreas, para a melhoria dos processos nas empresas, mas não só em áreas como Vendas, T.I e Marketing. O RH ganha um espaço especial. 

O People Analytics veio para aplicar a análise de dados aos Recursos Humanos. E, ao contrário do que muitos pensam, não se trata de monitorar desempenho e extrair dados para cobrar os colaboradores, mas sim para melhorar a gestão, diminuir a rotatividade e reter talentos.

People Analytics na prática

O People Analytics é o processo de analisar dados a fim de estudar o comportamento dos colaboradores. Assim, fica mais fácil planejar ações, prever os possíveis cenários dentro da empresa e evitar riscos e crises. 

O Google foi uma das empresas pioneiras nesse tipo de tecnologia. Além de buscar os melhores profissionais do mercado, a empresa quer, o que a maior parte das organizações também anseia, colaboradores engajados. E isso se torna possível ao conhecer melhor os colaboradores: seus gostos, motivações, insatisfações e comportamento. Por isso, a solução escolhida foi usar dados a seu favor, a fim de obter uma melhor gestão de equipes. 

A tecnologia é baseada na inteligência artificial. Ou seja, de acordo com as ações realizadas pelo funcionário nas navegações on-line, é possível extrair padrões e sugerir ações que façam sentido para ele. Assim, são identificadas /previstas tendências e estudado o comportamento de cada um dos colaboradores da empresa.

Além disso, o uso desta ferramenta possibilita que a equipe de RH conte com números para embasar as decisões mais estratégicas. Isso permite que as análises passem a ser mais concretas e menos subjetivas, fazendo com que os gestores consigam identificar as melhores formas de acelerar o processo de desenvolvimento das equipes.

People Analytics funciona somente para grandes empresas?

Não. Empresas de diferentes portes podem (e devem) imprimir inteligência na análise dos dados disponíveis – e, acreditem isso não é tão oneroso quanto pode parecer. Sua empresa utiliza uma ferramenta de gestão de ponto? Que tal analisar os números de absenteísmo de determinada área, para diagnosticar possíveis motivações para o cenário? As lideranças utilizam plataformas de gerenciamento de atividades ou apontamento de horas? Como os dados que estão ali podem revelar os gargalos operacionais e sobrecarga de equipes?

Ou seja, são várias ferramentas que podem (hoje, inclusive) ser utilizadas por sua empresa e revelarem dados riquíssimos para a tomada de decisão estratégica, tanto para o RH quanto para dar suporte às gerências. Lembre-se que dados sem interpretações podem perder valor. Imprima um olhar estratégico neles para que possam ser aliados. Por isso, é muito importante planejar e organizar em quais ações podem contar com people analytics.

O profissional de Recursos Humanos deve encontrar o ponto de sinergia entre os dados coletados e os objetivos que deseja alcançar com eles. Por exemplo: sua empresa enfrenta um problema alto de turnover. Uma análise preliminar pode indicar possíveis motivos para esse cenário (salário pouco competitivo, carga horária inadequada, falta de plano de cargos e salários, lideranças despreparadas). Mas somente os dados poderão revelar, com exatidão, qual desses cenários se confirmará. Decisões estratégicas devem ser tomadas com embasamento – e são os dados que irão torná-las mais assertivas.

Existem ferramentas robustas de people analytics no mercado. Mas acredite. Trata-se de uma metodologia que pode ser aplicada com o que você já possui em sua organização. Desde que você conte com plataformas que forneçam informações que podem ser usadas (e analisadas) estrategicamente.

People Analytics e a saúde financeira do colaborador

A principal função do People Analytics é trazer mais inteligência para as decisões do RH – incluindo o entendimento das necessidades de cada colaborador. Por isso, é possível através da metodologia, levantar as necessidades do colaborador por meio de pesquisas e observação do seu comportamento na organização. Dados vindos dessas pesquisas, por exemplo, podem nortear a decisão do RH por benefícios diferenciados e mais aderentes às reais necessidades dos colaboradores.

Pesquisas revelam a ligação direta entre absenteísmo e problemas financeiros dos colaboradores. A partir da leitura inteligente dos dados, é possível perceber que benefícios que minimizem esses problemas podem impactar positivamente na redução do absenteísmo. São decisões interligadas e baseadas em dados, que mostram a relevância de um olhar diferenciado para a saúde financeira dos colaboradores.

Como a Ahfin pode contribuir para um RH orientado a dados? 

Na Ahfin, nós acreditamos que apoiar a saúde financeira do seu colaborador é uma das melhores formas de se aproximar dele, além de engajá-lo e reforçar a cultura da empresa. Se o seu RH embasa as decisões em dados e identificou a necessidade de oferecer um benefício diferenciado, saiba que investir em saúde financeira pode ser um dos caminhos. 

Muito mais que acesso a produtos financeiros a taxas mais baixas, oferecemos educação financeira, para orientar e empoderar colaboradores a terem uma relação mais saudável com o dinheiro. Os serviços oferecidos pela Ahfin podem ajudar o seu RH a entender mais sobre o comportamento dos funcionários, suas preferências, necessidades e interesses, além de embasar a tomada de decisões no que diz respeito à busca de benefícios corporativos. 

Quer saber mais sobre People Analytics e sua aplicação no RH? 
Assista ao debate que rolou na segunda edição do Ahfin Conecta!

Se a sua empresa é adepta (ou está em busca de aderir) à cultura do People Analytics, seu RH está engajado em criar as melhores condições para o seu colaborador, com base nos seus gostos, interesses e comportamentos. E nisso, a Ahfin pode ajudar.

Que tal fazer parte desse time que busca sempre o melhor para os colaboradores e torna as equipes mais produtivas?