Blog

educação financeira

Educação financeira e empréstimo consignado privado: qual o papel das empresas?

última atualização dia 16 de outubro de 2020

educacao financeira

Saber que o Brasil é um dos países mais endividados do mundo – nossa dívida chega a 88% do nosso PIB – e que o histórico de endividamento atinge não só as dívidas públicas mas, fala também da experiência individual dos brasileiros, é falar sobre educação financeira.

Ter as finanças em dia e o controle do que se gasta e do que se ganha é uma forma básica de poder ter ingerência em outros setores da vida. Resumindo: a sua relação com o dinheiro fala da sua relação com o mundo

Com quem é possível contar para evitar (ou sair das) dívidas?

Se um colaborador entende seu local de trabalho como um ambiente seguro e onde há pessoas com quem pode contar, ele consegue quitar as dívidas e caminhar de um jeito mais leve financeiramente pensando no apoio da empresa. E tudo o que você quer é um bom relacionamento com o colaborador.

Assim, qual o papel que uma empresa deve desempenhar na educação financeira dos seus colaboradores?

O que significa educação financeira?

Principalmente em tempos tão imprevisíveis como os atuais, é necessário o mínimo de planejamento. Qual foi a última vez que você fez um planejamento que lhe desse previsibilidade financeira?

No Brasil, o termo educação financeira ainda está distante da realidade de muitas pessoas. Antes da pandemia da COVID 19, que causou a estagnação de muitas áreas da economia, já eram 61 milhões de brasileiros com nome negativado no SPC Serasa. E mais: somente 3,64% de nós economizam para a aposentadoria, sendo este o menor índice da América Latina.

Educação financeira não é sobre produzir dinheiro ou gastar pouco, mas sobre saber onde investir o dinheiro produzido: devo comprar à vista ou a prazo? Devo investir em poupança ou pesquisar outra forma de investimento? Qual a menor taxa de juros? Educar-se financeiramente equivale a empoderar-se da sua própria autonomia.

Pode parecer mais difícil para quem tem um rendimento menor e muitas demandas financeiras, mas é possível. Ao investir em educação financeira estamos olhando para o futuro e para o presente, fazendo com que os nossos ganhos financeiros sejam maiores.

No Brasil, a nova Base Nacional Comum Curricular, que guia o que será ensinado  no Ensino Médio nas escolas, traz, a partir de 2020, a educação financeira como integrante do currículo. Mas, e quem já passou dessa fase?

Qual o papel das empresas na educação financeira do colaborador?

Como estimular um tipo de educação que nunca foi estimulada? E como fazer isso dentro da empresa? Primeiramente, deve-se fazer uma pesquisa anônima sobre o interesse em ações de educação financeira e oferecer palestras para perceber quem se engaja.

Assim, é importante comunicar à equipe que a empresa está alinhada com a cultura da educação financeira. Sim, o estímulo à educação financeira deve ser parte da sua cultura organizacional. Dessa forma, quem se identificar, consegue ver na instituição um ponto de apoio.

Depois, é importante estabelecer programas de educação financeira e fazer o acompanhamento da evolução das pessoas. Sempre respeitando o perfil de cada uma.

Como o empréstimo consignado privado pode auxiliar na educação financeira do colaborador?

Primeiramente, educação. Depois, sanar as dívidas e investir. Essa deve ser a lógica de quem busca autonomia financeira para conseguir alcançar seus objetivos que podem ser de todo tipo: comprar uma casa, fazer uma viagem, investir na carreira, ter um ano sabático.

Após a reeducação de gastos, se o objetivo for sanar as dívidas e/ou investir, o primeiro levantamento é entender as menores taxas de juros existentes. Nesse ponto, as menores do mercado apresentadas são as do empréstimo consignado privado.

Veja:

Além disso, por ser um crédito destinado a empregados de empresas privadas, cujas parcelas de financiamento são descontadas diretamente da folha de pagamento, o controle financeiro é maior e melhor.

Você sabia que basta a empresa disponibilizar esse benefício e o empregado solicitá-lo? Fintechs oferecem essa possibilidade que auxilia na retomada da autonomia financeira. 

Se a empresa em que você trabalha já disponibiliza esse recurso de educação somada a empréstimo consignado pessoal, verifique perfis, compare empresas de empréstimo.

Comparar fintechs e optar por aquelas que têm juros mais acessíveis é algo que pode ser feito, mesmo se já tiver um banco de folha de pagamento. Lembre-se de que a exclusividade de crédito é proibida pela Lei nº 4.595.

Se ainda não tem, será que esse não é o momento um bom momento para comparar taxas de juros e optar pelo melhor crédito do mercado? Uma empresa consciente das potências de seus colaboradores é uma empresa que educa, investe e ajuda a investir.

Leia também:

Benefícios para os colaboradores: por que a saúde financeira é um deles?