Blog

educação financeira

Black Friday: o que fazer para não se endividar e manter a saúde financeira?

última atualização dia 23 de novembro de 2020

black-friday-saude-financeira

Se você vem investindo em reeducar-se financeiramente, sabe muito bem que um dos grandes obstáculos de quem está nessa jornada é conter-se na hora de fazer compras. A Black Friday é um desses momentos em que todo seu poder de foco na saúde financeira é testado. Será que este ano você resiste às tentações?

Segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop), mais da metade dos brasileiros estão esperando esse momento para ir às compras. De fato, comprar na Black Friday pode ser muito bom caso você não esteja lidando com ela de forma impulsiva. Tá Ahfin de saber como tirar proveito do momento? Siga nossas dicas.

Importante, supérfluo, urgente?

Antes de pensar em colocar a mão no bolso, tenha suas prioridades bem definidas. Quem busca educação financeira tem isso em mente. Se você contraiu dívidas, sua prioridade máxima e quitá-las, certo?

Sua lógica, portanto, deve ser:
– organizar o quanto deve e negociar
– verificar a possibilidade de crédito com menores juros
– começar a quitar as dívidas
– investir em meus objetivos com educação financeira

Saiba mais sobre como sair do vermelho investindo seu dinheiro

Seguindo esse princípio, vai ser natural que você passe a enxergar os produtos ou serviços que você vai adquirir de outra forma. Para estruturar melhor a sua decisão, pense sempre na compra da seguinte forma:

Se você tem um crédito consignado contratado , por exemplo, ele pode estar comprometendo até 30% do seu salário. Quanto você tem disponível para compras que não estavam mapeadas?

Digamos que somado a isso, venha a Black Friday com aquele computador que você tanto queria. E quase pela metade do preço. Se a máquina não for um ativo, ou seja, se ele não for para você um objeto que ofereça rendimento, que tal deixar para a próxima Black Friday, quando você já terá quitado seu consignado?

Além de autocontrole e autoconhecimento, é importante ter atenção com o mercado.

Black Friday ou Black Fraude?

A nossa maior orientação aqui é: não compre por impulso. Compras por impulso são grandes inimigas da sua saúde financeira e também do seu bem-estar. Ao se comprometer com um objetivo, mantendo-o em mente e honrando aquela promessa consigo mesmo, você ganha mais autoconfiança para ir em frente.

Educação financeira é sobre criar novos hábitos, para que você seja cada vez mais capaz de confiar em si mesmo(a).

Nesse momento de Black Friday, se resistir às tentações estiver mais complicado, lembre-se da possibilidade de aquele produto não estar realmente em promoção. É o que muita gente chama de Black Fraude.

O que muitos estabelecimentos fazem é aumentar o valor dos produtos um pouco antes do início da Black Friday reduzindo-os quando a promoção começa. Ou seja, você não leva vantagem e, se estiver se organizando financeiramente, acaba mesmo é saindo no prejuízo.

No Brasil, a Black Friday acontece no dia 27 de novembro, mas as lojas estão se preparando desde muito antes. E, no ano em que estamos, as investidas tornaram-se ainda maiores: com o boom do e-commerce, estima-se que as vendas nesse formato aumentem até 27%.

Manter a saúde financeira é, sim, possível durante a Black Friday

Se você ainda sente alguma dificuldade de estabelecer prioridades e as promoções parecem muito tentadoras, algumas dicas práticas podem fazer com que você mantenha sua saúde financeira.

Se for comprar, busque uma estabelecimentos de confiança, que tenham garantidas políticas de troca e de devolução, caso você se arrependa. Pelo código de defesa do consumidor, você tem até 7 dias para devolver um produto comprado online.
Pesquise e compare tudo! Como todos os estabelecimentos estão em promoção, segure ainda mais seu impulso quando ficar sabendo daquele preço irresistível.
Use a técnica do ativo ou passivo: aquele objeto ou serviço vai se converter em lucro depois (ativo)? Ou será só mais um objeto dispensável para o qual você vai olhar e se arrepender (passivo)?

Dica de ouro: seja um investidor

Quando você se propõe a se educar financeiramente está automaticamente criando a mentalidade de um investidor, ou seja, alguém que, ao pensar no futuro, no benefício a longo prazo, não titubeia diante de uma situação tentadora.

Ser um investidor não quer dizer fazer investimentos arrojados como comprar ações e esperar que elas ganhem força, antes de tudo, um investidor sabe muito sobre organização, ater-se a metas e conquistar objetivos.

Tendo essa mentalidade, tudo vai ficar mais fácil para você na Black Friday ou em qualquer outra data comemorativa que o comércio criar para incentivar demanda. Ah, e se, como investidor, você entender que precisa de crédito para chegar aos seus objetivos, fala com a gente. Estamos sem Ahfin de te ajudar!

Tô Ahfin de fazer uma simulação