Blog

beneficios do colaborador

O que são benefícios flexíveis e como eles podem mudar a relação dos colaboradores com a empresa

última atualização dia 4 de dezembro de 2020

Ao entrar no mercado de trabalho ou tentar um cargo em uma empresa, um bom profissional –  aquele que sabe seu real valor – vai buscar uma empresa condizente com a sua autopercepção. Os benefícios flexíveis são ótimas ferramentas tanto para atrair pessoas com esse perfil quanto para mantê-las na empresa.

Como sua marca empregadora os tem usado? O RH da sua empresa já está a par sobre o assunto? ? Conheça um pouco mais sobre benefícios flexíveis,  e veja como eles são grandes aliados à marca empregadora, engajamento e motivação dos colaboradores. 

O que são benefícios flexíveis?

Benefícios flexíveis são aqueles benefícios que podem ser negociados com a empresa. 

O funcionário pode escolher, dentro de uma carteira de benefícios, aqueles que melhor lhe atendem. Então, se para ele(a) funciona melhor um passe para a academia e para o colega um crédito consignado, ambos podem estar no mesmo cargo, mas receber benefícios diferentes de acordo com sua escolha.

Os benefícios flexíveis podem, portanto, servir colaboradores de todos os níveis hierárquicos. O que importa mesmo é a quantidade de pontos que ele(a) tem com RH e que podem ser transformados em benefícios. 

Dentre exemplos de benefícios flexíveis estão:

  • Auxílio educação
  • Auxílio-creche
  • Academia
  • Estacionamento
  • Crédito Consignado
  • Consultorias pessoais como programa de educação financeira
  • Seguro de vida
  • Previdência privada
  • Planos médico e odontológico
  • Vale-alimentação ou refeição
  • Entre outros

Por que benefícios flexíveis estão tão populares hoje em dia?

Um profissional qualificado, que é o tipo de profissional que toda empresa quer para compor seu quadro, sabe exatamente o que quer e onde deve estar. Um RH bem estruturado sabe se relacionar com esse tipo de profissional.

Isso explica muito o porquê de os benefícios flexíveis serem tão populares entre as equipes de RH hoje em dia: colaboradores que estão trabalhando felizes e tranquilos tendem a ser mais engajados, o que reduz também o índice de absenteísmo e de rotatividade na empresa.

Assim, profissionais que podem escolher entre seus benefícios, ficam mais felizes e, consequentemente, produzem mais e ficam mais engajados, se sentindo acolhidos. . Isso torna os benefícios flexíveis uma arma poderosa contra o turnover.

Imagine um colaborador que está em dificuldades financeiras e pode contar com menores taxas de juros porque sua empresa disponibiliza de um programa de crédito consignado e educação financeira. 

E outro que está com dificuldades para ter uma rotina mais saudável e pode contar com um passe livre de academia, mais barato e com desconto diretamente em folha, sem precisar se preocupar.

A marca empregadora da sua empresa só tende a ganhar.

Leia mais sobre a saúde financeira como um benefício para o colaborador

Como ter benefícios flexíveis na minha empresa?

Os benefícios flexíveis devem estar amparados legalmente. Isso porque a definição de benefícios pode ser interpretada de formas diversas pela legislação brasileira, que define que todos os trabalhadores devem ser tratados igualmente.

Assim, para proteger tanto a empresa quanto os colaboradores, é bom que seja feito um Acordo Coletivo de Trabalho. É importante, também, que as condições de aquisição de pontos para galgar benefícios dentro da empresa sejam iguais para todos os funcionários.

Além disso, é importante que a opção de benefícios solicitada pelo funcionário seja documentada de forma periódica. Os contratos entre empresa e prestadora do benefício devem estar claros também para o funcionário.

Depois,  aplique a estratégia de People Analytics. Uma outra  forma de conhecer o perfil deles é investir também na empatia no ambiente de trabalho. Observe sua conduta em relação à rotina: sua taxa de absenteísmo, produtividade, se solicita adiantamentos constantemente etc. Isso vai ajudar a selecionar sua carteira de benefícios. Ah, e fique de olho no mercado.

Se você ainda não adota essa política, é bom conversar com seus colaboradores e entender como pode ajudá-los a criarem essa melhor relação com a sua marca empregadora e estarem mais engajados com a empresa.

Tô Ahfin de fazer uma simulação